Campanha “Dê Oportunidade. Faça diferente, ninguém nasce infrator”.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Pastoral do Menor, em parceria com mais 23 instituições, lançaram segunda-feira, 5 de setembro,  a Campanha “Dê Oportunidade. Faça diferente, ninguém nasce infrator”. A cerimônia ocorreu na sede da CNBB, em Brasília (DF), às 14h30.

A campanha tem como objetivos levar à sociedade outro olhar sobre o adolescente que cometeu ato infracional; informar, esclarecer e sensibilizar sobre o significado humano, social e político das Medidas Socioeducativas (MSE); pautar governos e executores das políticas públicas a respeito da necessidade de fortalecimento e aprimoramento do Sistema Socioeducativo (Sinase); divulgar práticas exitosas na efetivação das MSEs, nos projetos da Pastoral do Menor e de parceiros.

Gestores de políticas públicas, sistema judiciário, conselhos de controle social e tutelares, educadores sociais, adolescentes, escolas, representantes de comunidades e movimentos sociais em geral formam o público alvo da iniciativa.

Durante o evento de lançamento da campanha, foi oferecido material impresso e audiovisual para dar apoio à realização de oficinas, rodas de conversas, seminários e audiências públicas.

Atendimento em projetos

De acordo com dados divulgados pela Pastoral do Menor, em todo o país são 54 mil crianças e adolescentes beneficiados por programas e projetos desenvolvidos, sendo 2.242 adolescentes que estão cumprindo medidas socioeducativas, em liberdade assistida, prestação de serviços à comunidade e em Regime de Internação. Somente no Programa de Assistência Religiosa são atendidos 1.192 adolescentes.

O coordenador da Pastoral do Menor, André Franzini, explica que “uma das ações da Pastoral do Menor no Brasil é justamente lutar pelo fortalecimento das medidas socioeducativas, oportunidades para a resiliência e dignidade de adolescentes que sofreram violações, transformando, assim, o ciclo da violência. “A visão de que se todos têm direitos fundamentais garantidos, da certidão de nascimento à segurança, alimentação, educação e saúde, são mínimas as chances de tornar-se um infrator.  Afinal, ninguém nasce, mas torna-se infrator devido, especialmente às ausências de direitos na sua vida”, acrescenta André.

Pastoral do Menor

Trata-se de um organismo da CNBB que compõe o grupo das Pastorais Sociais. O referencial da Pastoral do Menor é o bispo de Amparo (SP), dom Luiz Gonzaga Fechio. Em todo o país são 54 mil crianças e adolescentes beneficiados por programas e projetos desenvolvidos pela  Pastoral do Menor. Destes, 2.242 estão cumprindo medidas socioeducativas, em liberdade assistida, prestação de serviços à comunidade e em regime de internação.

 Serviço:
Lançamento da campanha da Pastoral do Menor e da CNBB “Dê Oportunidade. Faça diferente, ninguém nasce infrator”

Presenças:

  1. Dom Leonardo Ulrich Steiner, bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB.
  2. Dom Luiz Gonzaga Fechio, bispo de Amparo (SP) e referencial da Pastoral do Menor.

Data: Segunda-feira, 05 de setembro de 2016 – Hora: 14h30

Assessoria de Imprensa da CNBB – (61) 2103-8313 / (61) 8119-3762
E-mail: imprensa@cnbb.org.br ou pastoralmenornacional@gmail.com (Pastoral do Menor)

 

Categorias de textos

This is the heading

This is the heading

Click Here
Share on facebook
Share on twitter