DIA NACIONAL DA PASTORAL DO MENOR

dom-luciano-2

O Dia 27 de agosto é uma data muito especial para a família Pastoral do Menor. Neste dia, celebramos o aniversário de morte de Dom Luciano Mendes de Almeida, o fundador da Pastoral. Neste momento, nosso amor, nossa fé e nossa gratidão se renovam por existir a Pastoral do Menor e por ela cuidar de meninos e meninas com a mão do coração.

Como surgiu a Pastoral do Menor? Na década de 70, em plena ditadura militar um grupo de agentes das comunidades eclesiais de base de São Paulo, impulsionados pela Irmã Maria do Rosário e Ruth Pistore e, com apoio incondicional de Dom Luciano Mendes de Almeida, iniciou as primeiras atividades de acompanhamento à adolescentes vítimas das diversas formas de violências da sociedade daquela época.

Os primeiros resultados não se fizeram esperar graças à seriedade do trabalho sob orientação do Bispo Dom Luciano.  Assim nasceu a Pastoral do Menor, com as bênçãos de D. Paulo Evaristo Arns que, em dezembro de 77, designou D. Luciano como seu Bispo Responsável.

Esse grito de serviço em favor da vida de crianças e adolescentes espalhou-se, ultrapassando as fronteiras de São Paulo, seguindo pelos corações de leigos e leigos, irmãs, padres e bispos pelo Brasil a fora.

Em 1987, a Campanha da Fraternidade tem como tema “Quem acolhe um menor a mim acolhe” (Mc)  afirma para a Igreja Católica, a necessidade evangélica e pastoral para o serviço em favor da vida de meninos e meninas. Esse anúncio continua até hoje.

Com os olhos atentos para uma visão mais ampla das grandes metas da ação transformadora, para consagrar esse movimento alternativo e torná-lo “alterativo” o grupo foi chamado a colaborar, com outros atores em diversos campos e, sobretudo, nas conquistas da Constituição Federal de 1988 (ver art. 227) e depois no Estatuto da Criança e do Adolescente sancionado em 1990.

Dom Luciano solícito deu contribuição muito grande na direção de políticas públicas para a Infância e a Adolescência, participando também da reunião de governadores no Pacto pela Infância, na Capital Federal no início da década de 90.

Antes, tinha havido a colaboração na Convenção Internacional dos Direitos da Criança e do Adolescente proclamada em 1989. Chamado pelo BICE- Bureau International e Catholique de l’Enfance , na década de 80, D. Luciano tinha estado em Paris, defendendo o interesse maior das crianças.

D. Luciano era sempre a grande PRESENÇA lá onde a necessidade maior o requeria. Destacamos assim sua participação no Movimento Ecumênico, que, através das doze Semanas Ecumênicas (Seminários anuais de 1981 a 1992) uniu diversas Igrejas Históricas, em torno de quem recebera pelos cristãos, antes de outros, a proclamação de Prioridade Absoluta: a CRIANÇA.

Entre os inesquecíveis e proféticos pronunciamentos estava o seu brado: “O menor não é o problema ele é a solução”. Também no texto da Campanha da Fraternidade, da CNBB em 1987, onde o Ciclo da Marginalização e o Ver Julgar e Agir tem muito a nos dizer, ele escrevia: “Se a Sociedade se voltar para a criança todos os seus problemas serão solucionados adequadamente”. E é o que ele nos diz ainda hoje: “Acendam uma luz na vida de uma criança que ela será a luz de sua vida”.

Na última Assembleia Nacional, os delegados aprovaram a criação do Dia Nacional da Pastoral do Menor a ser celebrado no dia do aniversário da morte de Dom Luciano, pois é a ele que devemos o alicerce desse serviço que hoje se espalhou e garante a busca permanente pela dignidade e direitos na vida de milhares de crianças e adolescentes pelo Brasil.

Como dizia Dom Luciano, não somos uma Pastoral de fogos de vista, somos uma pastoral  presente no dia- a -dia junto aos meninos e meninas, onde cada agente busca apresentar o Rosto de Deus para que nele possa ser traçada nova vida e vida nova para cada criança e adolescente, exatamente como sempre profetizou o Dom Luciano.

A Pastoral do Menor se organiza, em núcleos de base, a partir das comunidades paroquiais ou organizações voltadas à defesa da criança e do adolescente empobrecidos e em situação de risco pessoal e social. Conta com uma coordenação em âmbito diocesano realizando encontros, formação, capacitação, assembleias… Em cada um dos regionais, divisão adotada pela CNBB, existe também uma organização com coordenação e competências próprias.

Vamos celebrar então a vida e o serviço maravilhoso que a Pastoral do Menor realiza em favor da vida dos pequeninos e prediletos do Pai.

 Contribuição: Coordenação  Nacional da Pastoral do Menor e Pastoral do Menor SorocabaAjOJrcZtf6qIAVwYLUdSHRy1hv2_6B9diYl2agYUip1V

 


 

 

 

Categorias de textos

This is the heading

This is the heading

Click Here
Share on facebook
Share on twitter